segunda-feira, 9 de fevereiro de 2009

Caderno

Meu caderno de rascunhos é um oceano,
Um infinito de amores imperfeitos:
Amores de um só
E cupidos com defeito.

Minha pasta de músicas está cheia:
Cheia de bossas incompletas;
Baladas inacabadas;
Sonetos de mil estrofes.

Minha virgem dos olhos de menta tarda a chegar
E a me dar um beijo com gostinho de cânfora
Que eu nunca sentirei.

... E a me puxar para o seu abraçar:
Abraço com aroma de sândalo
Que eu nunca abraçarei.

2 comentários:

carol pedrosa disse...

é fato desejar o que não podemos ter (ou pelo menos não achamos que podemos) e ficarmos melancólicos por isso!

voltei a escreveeer paulinho o/

Lilly White disse...

estou esperando minha cartinha :)